da

da

HISTORIA DE SUCESSO – Pablo Natan, das quadras de Vera para a estréia na Superliga de Volei

Foto: Renato Viera - Imagem de Natan

Acompanhe a trajetória do jovem atleta nascido em Vera no estado de Mato Grosso e que hoje joga em uma das principais equipes do país.
  
Foco da Noticia – Natan, conte-nos como foi que despertou a vontade de ser um jogador de Voleibol?

Natan - Bom, tudo começou com meu irmão que já praticava o vôlei em uma equipe de Vera e como sempre fomos só eu e ele em casa de filhos ele só tinha a mim para mim brincar e nossas brincadeiras sempre eram voltadas ao vôlei que ele sempre gostou muito. Então ele me ensinava algumas coisas básicas do que ele aprendia nos treinos para poder ficarem legal as brincadeiras, não tínhamos bola em casa então pegávamos folhas de cadernos velhos e amassávamos até formar uma pequena bola de papel e enrolava esta bola depois em alguma meio velha para ficar mais macia, foi assim brincando em casa, acompanhando os jogos quando aconteciam no município eu sempre dava um jeito de ir. 


Quando eu tinha oito anos, eu já queria começar a treinar, mas por não ter uma turma da minha idade para começar os treinamentos, o técnico da cidade que na época era o Professor Manoel Augusto falou com meu irmão para eu esperar completar 9 anos para poder começar a treinar com a turma do meu irmão, que na equipe, alguns atleta  eram até 7 anos mais velhos que eu. 

Depois disso iniciei os treinamentos em 2007 três vezes por semana, e no mesmo ano já fui para os jogos Vale da Madeira no município de União do Sul, e eu, era um dos mais novos do grupo, nesta competição, nossa equipe sagrou-se campeã na modalidade. Apesar de estar me saído bem nas partidas, eu enfrentava um problema, tinha pouca idade para participar de algumas competições. No ano de 2008 joguei novamente o VALE DA MADEIRA em Itaúba. Neste Ano, joguei em duas equipes e ficamos em 1° lugar na categoria  mirim e 3º colocado  no infanto juvenil. 

Foco da Noticia – Você destacou o professor Manoel Augusto como sendo uma das pessoas mais importantes no inicio da sua carreira, mas quem foi que te deu oportunidade de mostrar o seu talento fora do município e do estado?

Natan - Em 2009 chegou à cidade para assumir o time de vôlei feminino o professor Clodoaldo Alves (Beto), acho que posso apontar ele como um dos grandes responsáveis na guinada que tive dentro deste esporte, e apesar de estar à frente do feminino da cidade eu sempre o ajudava nos treinos, ficava assistindo todos os treinos e com o tempo comecei a treinar fazer fundamentos e etc. Depois de um tempo passei a ser o ajudante oficial dele, sempre chegava antes de todos pra ajudar ele armar a rede, os materiais do treino, e eu gostava muito disso, aprendi muita coisa com ele e sou muito grato por isso. 

Em 2010 foi um ano de mudanças, surgiu uma proposta para o Beto ir para o município de Nova Mutum assumir o vôlei feminino da cidade e o projeto incluía formar  uma equipe forte de vôlei masculino também nas duas categorias,  e ele me indicou para o Professor Poli Furquim que era o secretário de esportes do município e também técnico da equipe  masculino de vôlei. Foi meu primeiro ano fora de casa, longe da família dos amigos, foi para fazer parte da equipe mirim no meu primeiro ano que poderia participar das principais competições do estado por ter atingido a idade mínima.

Foco da Noticia – Em Nova Mutum, quais foram as conquistas?

Natan - Ganhamos quase tudo no estado inclusive garantimos vaga para disputar as Olimpíadas Escolares Brasileira da categoria de 12 a 14 anos, ficamos em quinto lugar no campeonato que aconteceu em Fortaleza que também foi minha primeira viagem para fora do estado, primeira vez na praia entre outras coisas. Foi aí que percebi que através do vôlei eu estava fazendo coisas que jamais imaginei fazer, alcançando coisas que provavelmente eu não teria chances se não estivesse jogando. 

Em 2011 eu tinha retornado a Vera e teria ficado o ano todo na cidade, porem novamente recebi o convite do professor Beto para novamente morar em Nova Mutum, porque morando em Vera eu teria que par de jogar, e pra isso não acontecer o professor Beto abriu as portas de sua casa me recebeu para que  eu pelo menos continuasse a treinar e participar de uma ou outra competição que o time pudesse entrar, mas acabei não ficando o ano todo e quando ia retornar pra Vera.  Neste meio tempo , recebi o convite do Técnico da equipe do município de Sorriso, Poli, me fez o convite pra ficar por lá treinando e não parar de jogar, acabei ficando o restante do ano apenas para treinar e não parar de vez com o vôlei.

Foco Da Noticia – Sua trajetória pra valer mesmo no vôlei começou de fato tomar corpo com sua ida para o estado do Paraná e mais uma vez no seu caminho estava o professor Beto, como foi sua passagem pelo voleibol paranaense?

Natan - Em 2012 foi o ano que tudo mudou para mim, o Beto já tinha mandado alguns garotos para o time de Umuarama no Paraná e me indicou,  e com autorização da  minha mãe fui então morar no estado do Paraná, e foi lá que tive grandes oportunidades, me destaquei no estado no ano de 2012 jogando na minha categoria e até já jogando em categorias acima, mais uma vez fui campeão estadual e desta vez de forma invicta e sem perder um set desde a primeira fase regional até a fase estadual doJOGOS ESCOLARES DO PARANA, ganhei o prêmio de melhor jogador do estado da minha categoria, nas Olimpíadas Escolares ficamos com a terceira colocação. Devido a boa atuação que tive no campeonato Nacional fui convocado para seleção brasileira escolar onde aconteceu treinos no mês de dezembro de 2012 com 18 meninos que se destacaram em suas respectivas equipes.

Em 2013 já assumi a responsabilidade de ser o principal jogador da minha equipe que tinham atletas até 18 anos e eu com apenas 15 já me tornei referência da equipe, continuei a me destacar nas competições estaduais em minha categoria e arrastando olhares já nas categorias a cima, devido a isso, tive a minha primeira convocação para Seleção Brasileira Infantil que visava disputar o campeonato Sul  Americano, fiz a seletiva com vários garotos de todo o País e fui convocado entre os 18 selecionados para continuar os treinamento, mas para competição acabei não ficando entre os 12 que iriam viajar, serviu de experiência. 

Foco da Noticia – Quais competições você representou o estado do Paraná?

Natan - Por ter ido cedo para o Paraná fui federado pela primeira vez no estado e hoje sou considerado um atleta Paranaense, tanto que no campeonato Brasileiro de seleções que acontece todos os anos eu represento a equipe do Paraná, já participei de cinco, em 2014 joguei no sub – 20 que aconteceu em Sete Lagoas, MG e também no sub – 18 em Itajaí - SC, em 2015 novamente joguei o sub – 20 e sub – 18 ambos aconteceram em Saquarema - RJ no CDV ( Centro de Desenvolvimento de Voleibol ) sede da seleção brasileira de vôlei, em 2016 joguei o sub – 20 também em Saquarema.

Foco Da Notícia – Em que Ano você se transferiu para o voleibol mineiro, e em que competições você encarou logo no primeiro ano?  

Natan - Em 2016 recebi o convite de compor a base da equipe mais vitoriosa do País, o Sada Cruzeiro, tetra campeão da superliga de vôlei, tricampeão mundial de clubes, campeão de tudo. Mudei-me para Belo Horizonte, Minas Gerais, depois de passar quatro anos no Paraná, e aqui fiz parte da equipe B que disputou a Superliga “B”,  que é a divisão de acesso para a superliga. Aqui posso dizer que tive uma das maiores evoluções durante os anos que jogo vôlei, treinava com a equipe juvenil porem ainda jogava as competições infanto até 18 anos, joguei também competições com a equipe juvenil, com o infanto fui campeão metropolitano e da copa FMV e com o juvenil fui campeão  da Copa cidade Maravilhosa no RJ e do Quadrangular em Piracicaba – SP.

Foco da Noticia – Apesar da sua pouca idade, em Minas Gerais você também deixou de participar de algumas competições importantes, mas mesmo assim, sempre focado, teve a oportunidade de compor a equipe principal do SADA, relate esta passagem, e como foi a sua estréia na Superliga de Voleibol ?

Natan - Devido a Parceria do SADA com a Equipe de JUIZ DE FORA aqui de MG, os garotos mais velhos da base, foram emprestados para compor a equipe de JF visando participar do Mineiro Adulto e da Superliga, com  isso por ser mais novo para cumprir os compromissos com o infanto ficou aqui em BH e acabei recebendo a oportunidade compor a equipe principal do Sada, sendo o 5 ponteiro, ajudando nos treinos, treinando quando precisasse, conviver com caras que são ídolos de muitos jovens que praticam vôlei, inclusive eu mesmo. Bom hoje treino todos os dias com adulto, devido algumas lesões dos jogadores tive a oportunidade viajar com o adulto, já participei de jogos, até já fiz minha estréia na superliga. Aos poucos estou conquistando meu espaço na equipe, e dentro do vôlei nacional. Vivo um momento especial, estar entre os melhores do País e do mundo e algo muito gratificante, estarem em quadra e olhar para o lado e ver ícones do vôlei mundial é ate inexplicável.

Foco da Noticia – Qual o seu principal objetivo?

Natan - O Meu maior sonho acho que é o que todo jovem atleta tem, servir a seleção dos pais e ganhar uma Olimpíada. Ser um atleta reconhecido mundialmente, e poder dar orgulho para o país.

Foco da Noticia – Quem é Edna Ventura Porfirio e o que ela  representa para você?

Natan - É a minha rainha, minha inspiração, e por trás de tudo isso, eu quero poder dar uma vida melhor para minha mãe, recompensar ela por tudo que ela passou e ainda passa para me ajudar, para me apoiar,  ela é minha maior inspiração, criou eu e meu irmão sozinha, nunca nos deixou faltar nada, sempre se desdobrou em duas para fazer o papel de pai e mãe e não deixou a desejar em nada.

Foco da Noticia – Fale um pouco da sua família e o que significa para você

Natan - Sobre minha   família, sou de uma família humilde, filho de mãe solteira uma mulher que eu   posso considerar a grande inspiração da minha vida, uma mulher que nunca   deixou faltar nada para mim e para o meu irmão, que sempre foi atrás de tudo,   quem conhece ela sabe que ela é muito guerreira ela é bem conhecida na cidade   por ser uma cidade pequena e por ela estar na cidade desde sempre né, porque   ela praticamente uma Pioneira da cidade, todo mundo conhece e acho que a   maioria do pessoal me conhece mais por ser filho dela do que ser o cara que   conseguiu sair da cidade, que tá seguindo seus próprios passos dentro do vôlei.    e eu acho isso muito legal de ser   reconhecido pela minha mãe por ser filho dela. Às vezes andando na cidade   alguém me para e fala - Nossa como você cresceu você que é o mais novo da   Edna né? Lembro de você quando era um bebê.

Vida Difícil

Natan - Nunca tive uma   vida cheia de luxo, eu tive que aprender muito cedo que eu teria que batalhar   para conseguir alcançar meus sonhos, e minha mãe sempre me dizia que ela não   era rica, que ela não teria como deixar uma herança para mim e para o meu   irmão, e que a coisa mais valiosa que ela poderia deixar para a gente era o   estudo fazer a gente estudar a gente ter algo para poder ser alguém na vida   quando fosse mais velho eu acho que isso desde cedo mostrou para mim que ela   é realmente é uma mulher de fibra uma mulher muito forte.

Apoio da Família

Natan - Minha família   sempre me apoiou nessa decisão de ser atleta, meus tios, meu irmão, minha mãe   e meus amigos todo mundo sempre me incentivava falando para mim não desistir,   que uma hora eu ia conseguir,que nada é fácil e que nada vem de graça nessa   vida e eu acreditei em tudo isso e hoje eu to colhendo frutos do que eu   plantei aí no meu passado. E tem a minha tia Elzinha que também é minha madrinha   ela me ajudou muito nessa fase de início, eu lembro que eu comecei a jogar e   tinha uma chuteirinha da Pênaltiy, na época ela comprou um tênis melhor para   mim treinar que  tinha um pouco mais   amortecimento do que uma chuteira que é mais para futebol e não para quadra e   ela desde sempre me ajudou com essas coisas, me levava na loja para comprar   meia, roupa e etc. Eu tive várias pessoas que me ajudaram nessa fase e que   até hoje me ajudam, posso citar como uma das principais a Sandra Biedermann,   sempre me ajudou e me apoiou e até hoje sempre que preciso ela está sempre de   braços aberto e faz o possível para me ajudar.

Gratidão

Natan - Sou muito grato   por isso, muitas pessoas gostam de mim e estão dispostas a me ajudar, acho   que isso é por causa da minha mãe, ela nos criou tão bem que as pessoas ficam   impressionadas pelas pessoas que somos e que ela nos ajudou a ser. E tem o   grande inspirador desta minha paixão pelo voleibol, meu Irmão Patrick   Willian, já disse que sempre o acompanhei e achava muito legal ver ele em   quadra jogando e ficava ansioso, preocupado e com saudades quando ele tinha   que viajar e ficar fora de casa uma semana por causa dos jogos. Quando eu   decidir que queria jogar vôlei, me lembro que eu escutei muitas piadinhas,   porque meu irmão se assumiu gay muito cedo, e todo mundo conhecia ele na   cidade então ouvia direto de outros meninos, olha ele tá seguindo os passos   do irmão, começa com vôlei e depois vai virar viadinho também, chegava em   casa estressado com raiva e falava com meu irmão e minha mãe e a única coisa   que eles me diziam, esquece isso, não dá importância para eles, sempre terá   pessoas querendo te fazer desistir, você precisa ser forte porque o mundo é   cruel, as pessoas não querem ver outras felizes, crescendo na vida.

Nunca Desistir

Natan - Dessa forma, aprendi   a não dar ouvidos a estas pessoas, hoje posso dizer que elas colaboraram   muito pra eu chegar aqui, aprendi a não desistir nunca, a estar preparado   para tudo, para o mundo é que uma hora se você faz por merecer você é   recompensado. Sou muito grato pelo irmão que tenho que hoje apenas brinca de vôlei   quando tem tempo, sempre que falo com ele, o lembro de que se estou aqui   correndo atrás deste sonho e porque eu aprendi com ele a gostar tanto deste   esporte.

Foco da Noticia – Você teve vários   professores e técnicos, entre eles esta o professor Manoel, fale um pouco   sobre ele?

Natan - Sobre o   professor Manoel ele é o cara que me abriu as portas né ele que me iniciou aí   dentro do voleibol, ele que me deu a base do voleibol, foi com ele que   Aprendi fazer Manchete, toque a sacar, passada de ataque, rodízio e etc. Sem   sombra de dúvidas é um cara de suma importância para mim, para o que eu sou   hoje no voleibol, sempre teve um trabalho muito valorizado dentro da cidade e   no estado muito reconhecido por formar vários atletas.


Foco da Noticia – Cite os profissionais que já foram   seus técnicos?

 Natan - Em   ordem cronológica: Manoel Augusto Stahlschmidt, Clodoaldo Alves, Poli   Furquim, Ademir Lentz (estes enquanto eu ainda estava no MT), Amaury Nogueira   de Castro (Umuarama – PR) Henrique Furtado e Humberto Martelete (Sada   Cruzeiro) atualmente Marcelo Mendez também do Sada Cruzeiro.

Agradecimento especial
  
Chiquinho tem outra pessoa que eu não posso deixar de falar, meu ex -  técnico Amaury Nogueira de Castro, ele que   me acolheu em Umuarama durante quatro anos do início de 2012 a 2015 é outro   de grande importância para minha caminhada até aqui, ele acreditou em mim e   principalmente no Beto que me indicou para ele. Ele me mostrou para o   voleibol nacional, me deu oportunidade de aparecer em um estado com grande   tradição no volei que é o Paraná, graças a ele hoje no Paraná todos   envolvidos com o volei sabem quem eu sou, e a minha importância dentro do   estado.
  
Foco da Noticia – O município de   Vera significa o que para você?
  
Natan - Sobre a cidade   eu tenho orgulho em dizer que sou Verense, que sou do Mato Grosso, foi aí que   dei meus primeiros passos dentro do volei e serei sempre grato por isso,   nasci e fui criado em Vera, esta no meu coração sempre. A cidade significa   para mim acho que o início de tudo né tipo foi onde eu realmente iniciei   minha vida em todos os aspectos. É minha base, minha raiz.
   
Foco da Noticia – O sonho de todo   atleta de voleibol é jogar na elite da modalidade no país, conte-nos como e   quando foi a sua estréia na superliga?

Natan - Minha estréia   na superliga foi no dia 08/02/17 no jogo contra Gedore/Lebes - Canoas No   ginásio do Riacho em Contagem que é o ginásio oficial da nossa equipe Sada   Cruzeiro. Entrei no primeiro set para substituir o nosso principal jogador o   Cubano Leal que sentiu um pouco o tornozelo e saiu para fazer uma bandagem.   Foi um participação curta fiquei uns 8 ou 9 pontos em quadra, logo em seguida   ele retornou ao jogo, foi um momento incrível e ao mão tempo de grande   responsabilidade, afinal eu estava substituindo um dos melhores jogadores do   mundo atualmente, detentor de vário prêmios individuais inclusive de melhor   jogador do mundial de Clubes, melhor atacante da Superliga várias vezes e   também melhor jogador da superliga. Mas foi tudo tranquilo, o restante da   equipe me apoiou bastante, me passaram confiança e deu tudo certo.

 Foco da Noticia – Quais suas   conquista e títulos?

Natan - Em 2012 - Melhor atleta do estado do PR na categoria mirim de 12 a 14 anos
Em 2013 - Melhor atleta e melhor atacante na categoria infantil no PR
Em 2014 - Melhor atleta e melhor atacante na categoria infantil no PR, melhor saque e melhor atacante do Campeonato Internacional em Curitiba.
Em 2015 - Melhor atleta na categoria infanto juvenil no PR e também melhor atacante da Taça Paraná 
Em 2016 - Melhor Ponteiro da Copa FMV em BH


A mais recente conquista, aconteceu no Sábado (25) quando a equipe que Natan joga sagrou – se tetra campeão do Sul americano de clubes




Pablo Natan Ventura    18 anos
Profissão – Jogador de Voleibol
Natura de Vera MT
Mãe: Edna Ventura Porfirio 
Irmão: Patrick Willian Ventura 


A entrevista do atleta Pablo Natan, feita pelo jornalista Chiquinho Sam tem como objetivo contar a historia de um jovem que mesmo vindo de família humilde, soube aproveitar as oportunidades que o esporte proporciona e se tornar um grande vencedor.

Reportagem – Jornalista Chiquinho Sam

Imagens - Renato Viera fotógrafo da equipe

Tecnologia do Blogger.