da

da

Aron Dresch toma posse: início de uma nova era no futebol mato-grossense

Foto: Globoesporte.com - Aron Dresch Presidente da FMF

O ex-presidente do Cuiabá Esporte Clube foi empossado na presidência da FMF, na tarde desta sexta-feira. Ele vai comandar o futebol do estado pelos próximos quatro anos.


O futebol mato-grossense inicia uma nova era. Depois de quase 40 anos, a Federação Mato-grossense de Futebol (FMF) teve eleição e um novo presidente foi escolhido pelos clubes e ligas amadoras do estado. Aron Dresch, ex-presidente do Cuiabá Esporte Clube, tomou posse nesta sexta-feira e será o mandatário da entidade pelos próximos quatro anos.
O falecido Carlos Orione esteve na presidência da FMF por aproximadamente 40 anos e sempre se reelegeu sem ter ao menos candidatos de oposição. Nos últimos anos do seu mandato, muito debilitado, ele deixou o cargo, que foi assumido por Helmute Lawisch por um ano e depois por João Carlos de Oliveira, ambos seus vice-presidentes.
Em março deste ano houve o pleito com o agora ex-presidente João Carlos de Oliveira e Araon Dresch como candidatos. Pela maioria dos votos - 22 a 15 - a chapa presidida por Aron e os vice-presidentes Agnaldo Turra, Marcio Carreto Pardal, Marcio Lacerda e Sandro Roberto da Silva, foi eleita.
Foto: Globoesporte.com - Aron Dresch Presidente da FMF e João Carlos de Oliveira Ex Presidente

Coincidentemente, a mudança na presidência foi no mesmo dia que a Federação Mato-grossense de Futebol completa 75 anos de fundação. Em seu primeiro discurso de posse a frente da FMF, Aron Dresch comentou sobre o momento do futebol estadual e suas principais metas.
- Vamos trabalhar para resgatar a credibilidade, profissionalismo e organização do nosso futebol. Estamos crescendo dentro de campo com títulos e boas campanhas, e queremos que nossa federação cresça junto. Queremos trabalhar incessantemente para que nossos times voltem a fazer acessos e busquem títulos nacionais – disse Aron Dresch.
Também tomaram posse nesta sexta-feira Irineu Zambiasi, Orivaldo Rondon e Ademar Souza Silva, membros do conselho fiscal.
Confira o discurso completo da posse do novo presidente da Federação Mato-grossense de Futebol, Aron Dresch:
"Meus amigos. – Uma boa tarde especial à família mato-grossense de futebol; Boa tarde, senhores e senhoras da imprensa e população em geral!
Trabalho e Seriedade. Foi pautado por essas duas palavras que promovi essa caminhada vitoriosa rumo à administração e moralização da Federação Mato-grossense de Futebol.
É o que tenho a oferecer: Muito trabalho, com seriedade. E essa possibilidade me inspira de maneira extraordinária. Quero contribuir, e muito, para o Futebol de Mato Grosso.
É por este motivo – que nesta solenidade de posse – manifesto meus sinceros agradecimentos a todos que depositaram confiança não apenas em mim, Aron, mas em todo o grupo que compõe a nova diretoria.
Nós, a partir de hoje, assumimos esta que é a grande casa do Futebol mato-grossense. Uma Casa que saberá respeitar e respaldar os 17 times profissionais; as 7 Ligas de Futebol e os 141 municípios do estados, nos quais temos que ajudar a fomentar e fortalecer o futebol de base.
Quando falamos em Futebol, é bem verdade, Mato Grosso ainda tem muito a crescer no cenário nacional – ou a recuperar, não é mesmo?!. E este é um desafio que faço questão de ajudar a cumprir.
Cabe a nós estabelecermos metas e empenharmos esforços para reconquistar nosso espaço, seja no cenário nacional, seja nos rincões deste Estado continental, onde o futebol ficou relegado a terceiro plano nas últimas décadas.
Pois, somos motivados pela paixão, não é mesmo?! Uma paixão que tem pegado os mato-grossenses de jeito nos últimos anos, graças ao desempenho de muitos clubes, de muitos dirigentes de clubes e de seus guerreiros jogadores.
Já tivemos nossa época de ouro no futebol mato-grossense, lembro-me bem. Época dos clássicos dos milhões, em que Misto e Operário lotavam os estádios. Mas também já tivemos nossa época de decadência, lembro-me bem, em que nosso saudoso Verdão vivia às moscas.
Hoje, temos nas mãos a oportunidade de fazer de um ou do outro jeito. Qual é o jeito que vamos escolher?
Digo a vocês que viemos para fazer a diferença. Viemos para fazer história, sem querer denotar arrogância ou presunção, mas para estabelecer nossa marca, nosso TEMPO.
Temos consciência de que o futebol é saúde, é educação, é cultura... de que o futebol traz diversos vertentes de benefício à sociedade. Mas, sobretudo, futebol é uma indústria do entretenimento. Nesta condição, trata-se de um negócio, que exige de nós o comprometimento com regras claras que são fundamentais para que este jogo seja bem sucedido e lucrativo para todos.
Durante a campanha, assumi o compromisso de organizar a Federação de modo que essa gestão seja profissional. Acredito que somente dessa forma será possível inspirar credibilidade e confiança para atrair os torcedores e os novos investidores.
Temos o direito de sonhar, principalmente em ser campeão, seja estadual, brasileiro, mundial. O sonho é o que move o futebol, e é por isso, que os interesses pessoais não podem sobressair aos interesses de uma legião de apaixonados e de centenas de atletas e profissionais do futebol, que trabalham com seriedade e dedicação.
Nesta gestão, o trabalho será feito com seriedade.
A Federação Mato-grossense de Futebol será sinônimo de integridade, de seriedade e de profissionalismo. Será um espaço onde todos vocês terão oportunidade de dizer: estou em casa – esta é minha casa!
Nossas reuniões terão o objetivo de facilitar a logística dos clubes, identificar as estratégias de capitação de recursos lícitos e suficientes para dar todo suporte necessário e viabilizar a ascensão do Futebol Mato-grossense ao mais elevado padrão de qualidade, respeito e compromisso que é digno deste esporte.
Evidente que não passamos por momentos fáceis na história do nosso país. A instabilidade econômica, consequência de uma crise política vergonhosa, vêm repercutindo efeitos também em nossas receitas.
Mas, vamos buscar o apoio de empresas com relações diretas com o agronegócio para capitar recursos que serão de suma importância para renovarmos a cara do futebol mato-grossense. Este é um dos caminhos a percorrer.
As categorias de base também terão espaço garantido na Federação. Isso porque, há muito tempo venho conversando com os diretores dos times da liga amadora, e percebo que o sentimento predominante entre os líderes e os jogadores é que são órfãos por parte da Federação.
Podemos implantar as ligas nos 141 municípios. É uma oportunidade para darmos notoriedade e espaço na agenda cultural dos nossos municípios. Isso gera renda, movimenta economia, movimenta as cidades, os bairros, os times. E a Federação quer estar presente, mostrar que o Futebol tem seu valor, seja nas grandes arenas, seja nos estádios pequenos e muitas vezes nos improvisados.
Só com uma Federação unida e com seus membros em busca de um mesmo objetivo é que vamos revelar bons jogadores, incentivar a prática do esporte e contribuir com a sociedade, para que cada vez mais crianças e jovens encontrem no futebol um futuro.
Senhoras e senhores, amigos, familiares.
Principalmente, os membros da nova diretoria, os dirigentes de clube, árbitros, assistente, gandulas, técnicos, jogadores, todas as pessoas que participam dessa grande paixão nacional...
conto com vocês, para fazer da Federação Mato-grossense de Futebol um exemplo de moralidade, ética e compromisso com a sociedade. O trabalho que começamos a partir de hoje será um marco para a história desta instituição.
Da mesma forma que vocês depositaram esta confiança em mim, também quero aqui depositar minha confiança em vocês, para juntos fazermos a diferença. Muito Obrigado!"

Fonte: SportSinop/Valcir Pereira e Globoesporte.com

Fotos: Redação/SportSinop


Tecnologia do Blogger.