Governo vai cobrar taxa de aluguel por uso da Arena Pantanal, mesmo com jogos no vermelho

Foto: Futebol MT - Arena Pantanal, mais despesas para as equipes

Sob gestão do Governo de Mato Grosso, a Arena Pantanal vai ser sede pelo segundo ano consecutivo do Campeonato Mato-Grossense. Até aqui, os clubes vinham arcando apenas com os custos operacionais do estádio, como seguranças, limpeza, etc. A partir de 2016, o governo estuda cobrar aluguel das equipes que forem utilizar o local. Segundo o secretário de cidades, Eduardo Chiletto, a ideia é que de 5 a 8% da renda bruta das partidas, sejam descontadas como pagamento do aluguel. A Federação Mato-grossense de Futebol (FMF) já se posicionou contra a medida.

O aluguel do estádio vinha sendo cobrado apenas em jogos nacionais - o último foi Ponte Preta e Palmeiras, em junho, pelo Brasileirão com custo de R$ 40 mil para o clube mandante. Cruzeiro e Corinthians o valor foi de 50 mil. O clássico entre Vasco e Flamengo a taxa foi de R$ 40 mil.

- Estamos formatando como iremos aplicar esse aluguel. É claro que sabemos que os clubes locais não tem levado muitos torcedores ao estádio, então devemos estipular um valor mínimo, já que em alguns jogos a renda é praticamente nula - disse Chiletto.

O presidente em exercício da FMF, João Carlos de Oliveira, confirmou a intenção do governo estadual, mas que vai tentar mudar o quadro.

- Se isso acontecer, a Arena Pantanal vai ficar ainda mais inviável para os clubes. Quero reunir todos os presidentes das equipes para tentarmos reverter isso. Os jogos já dão prejuízo, será um valor ainda maior para os clubes arcarem. Eu concordo que se um empresário compra um mando de um jogo da Série A, aí sim é preciso cobrar. Mas dos clubes locais ficará difícil a situação - relatou.

Para ilustrar o panorama dos clubes, segue um exemplo: na partida entre Operário Várzea-grandense e Luverdense, pela semifinal do Mato-Grossense, o prejuízo do Tricolor foi de pouco mais de R$ 15 mil reais. Apenas 244 torcedores pagaram ingresso, totalizando uma renda de R$ 5.445. As despesas operacionais foram de quase R$ 17 mil, sem contar os descontos previstos por lei. Se fosse cobrado os 8% do aluguel, o time teria que desembolsar mais R$ 435.

A manutenção da Arena Pantanal gira em torno de R$ 600 mil, pagos integralmente pelo governo estadual. A Arena Pantanal vai receber a primeira rodada do Campeonato Mato-Grossense, no dia 31 de janeiro, com rodada dupla: Mixto e Operário VG e Cuiabá e Dom Bosco. Sem o estádio Dutrinha interditado e que ainda vai ser reformado, e os COTs inacabados, a Baixada Cuiabana conta com apenas a arena para jogar.

Fonte: SportSinop/Valcir Pereira e Futebol MT (Redação Futebol MT), Com GE
         

Fotos: Redação/SportSinop
Tecnologia do Blogger.