Com plano B em caso de desistência, arbitral define Mato-Grossense 2017

Foto: Robson Boamorte - Arbitral Mato-grossense 2017

A princípio, e se não houver desistência como acontece em quase todos os anos, o Campeonato Mato-Grossense 2017 será com duas chaves de cinco times cada. Após muita discussão entre os times que compareceram ao arbitral, realizado na tarde desta terça-feira na sede da Federação Mato-grossense de Futebol, dois cenários foram montados pelos oito times que estiverem presentes – Araguaia e Cacerense não mandaram representantes. Dirigentes do Luverdense, Cuiabá, Mixto, Dom Bosco, Operário VG, Operário FC, União e Sinop votaram e chegaram em um consenso (ao menos parcial) do próximo estadual. 

O primeiro cenário consiste nos 10 clubes divididos em duas chaves, com os dois melhores de cada grupo avançando à semifinal e os dois últimos rebaixados. Em 2016, os times também foram divididos em dois grupos, mas a desistência na última hora do Rondonópolis deixou o grupo B sem rebaixamento - o próprio REC caiu. 
O segundo cenário aparece caso ocorra alguma desistência de qualquer um dos times. Sendo assim, os clubes restantes irão se juntar em um único grupo e todos irão se enfrentar em turno e returno, com os quatro melhores avançando à final e os três últimos rebaixados. Caso mais de uma equipe desista, o número de rebaixados vai diminuindo. Por exemplo, caso dois times desistam, o campeonato será disputado por oito clubes jogando em turno e returno em pontos corridos. Os dois últimos seriam rebaixados. Se tivermos três desistências, aí o Mato-Grossense teria um rebaixado. 

A ideia principal é que o estadual 2018 tenha apenas oito times para que o torneio seja mais atrativo e com menos clubes endividados. Atualmente, apenas Cuiabá e Luverdense tem boa saúde financeira em Mato Grosso. 

Luverdense campeão mato-grossense de 2016 (Foto: Assessoria/FMF)Luverdense foi o campeão estadual de 2016 (Foto: Assessoria/FMF)
Cacerense e Araguaia, que não compareceram no arbitral, tem até o dia 31 de outubro para confirmar participação. Caso contrário, estarão automaticamente eliminados e rebaixados para a Segunda Divisão do Campeonato Mato-Grossense. 
O temor tanto da Federação Mato-grossense de Futebol (FMF) quanto dos clubes é que ocorram desistências na véspera do torneio e acabe ocasionando situações como do Mato-Grossense 2016, quando o Operário FC não venceu nenhum jogo, terminou na lanterna da chave e não foi rebaixado pela saída do Rondonópolis. 
Fonte: SportSinop/Valcir Pereira  e Por Cuiabá, MT  
Fotos: Redação/SportSinop

Tecnologia do Blogger.