Com direito a “olé” e gol 50 de Neymar, Brasil faz 3x0 e afunda a Argentina

Foto: Globoesporte.com - Lance de Brasil e Argentina

O torcedor pegou a seleção brasileira no colo, embalou, ninou e dormiu abraçado a ela. Gritou o nome de seu craque, de seu técnico, lembrou os mil gols de Pelé, que rima com olé, e riu dos argentinos após um acachapante 3x0, em que as superioridades mental e física chamaram mais atenção do que a técnica. 

A Argentina teve mais a bola no primeiro tempo, teve Messi participativo, mas longe da área, só que um Brasil extremamente bem resolvido, e ciente de suas qualidades e defeitos, explodiu no talento de Coutinho, Neymar (seu 50º gol pela Seleção) e Paulinho, autores dos gols com assistências de Gabriel Jesus e Renato Augusto. 

O Mineirão, dois anos após o desastre, deixou transbordar orgulho por uma equipe que, enfim, devolve prazer ao brasileiro.


Foto: Globoesporte.com - Lance de Brasil e Argentina

PRIMEIRO TEMPO
Começou com dois chapéus de Messi e terminou com um gol de Neymar. Uma eficiência cruel do Brasil contra uma Argentina esforçada, determinada, mas carente de velocidade e definição.

Enquanto Di Maria nem foi notado em campo, Coutinho saiu da direita para a esquerda, deixou para trás um Mascherano que parece ter deixado o ímpeto em Barcelona, e fez um golaço, parecido com os que tem marcado no Liverpool. No fim, Neymar recebeu de Jesus e, livre, com espaço, deslocou Romero.

Foto: Globoesporte.com - Lance de Brasil e Argentina com o técnico Tite do Brasil

SEGUNDO TEMPO
Edgardo Bauza voltou com Aguero no lugar de Enzo Pérez, e quem o viu no São Paulo pensou: quando ele está perdendo, coloca um atacante e tira um meia, a tendência é tomar mais. 

Quando Paulinho driblou Romero e bateu para o gol vazio, a Argentina escapou graças à leitura de jogo de Zabaleta, que salvou quase na linha. Mas Paulinho insistiu e fez o gol merecido. 

Ele, que ajudou Fernandinho no combate a Messi, apareceu de novo na área e completou para o gol. Daí para frente o estádio virou baile de carnaval. Em campo com Neymar e nas arquibancadas eufóricas. O Brasil afundou seu rival e elevou às alturas seu ego.

Foto: Globoesporte.com - Lance de Brasil e Argentina

CLASSIFICAÇÃO
O Brasil se manteve na liderança, um ponto à frente do Uruguai (24 a 23), e a Argentina também permaneceu na mesma posição: a sexta, fora da zona de classificação para a Copa do Mundo de 2018. 

Na próxima terça-feira, a Seleção de Tite vai a Lima enfrentar o Peru, enquanto os hermanos receberão a Colômbia, desesperados por uma vitória. 

Foto: Globoesporte.com - Lance de Brasil e Argentina

FILIPE DE VOLTA
Marcelo recebeu o segundo cartão amarelo e está suspenso para a partida da próxima terça-feira, contra o Peru, em Lima. Voltará só em março de 2017, na rodada seguinte. Filipe Luís será titular na semana que vem. Os outros pendurados – Daniel Alves, Miranda, o próprio Filipe Luís, Paulinho, Giuliano, Lucas Lima e Douglas Costa – não levaram cartão.

Foto: Globoesporte.com - Lance de Brasil e Argentina

5ª SEGUIDA
Tite segue invicto na seleção brasileira: cinco jogos, cinco vitórias, 15 gols marcados, 1 sofrido (contra, de Marquinhos).

PÚBLICO E RENDA
53.490 pessoas assistiram à vitória do Brasil, e geraram uma renda de R$ 12.726.250,50.

ETERNO CAPITÃO
Antes do jogo, um minuto de silêncio em homenagem ao falecimento de Carlos Alberto Torres. A torcida aplaudiu e gritou “Capita, Capita” para o capitão do tricampeonato de 1970. Daniel Alves, lateral-direito como ele, jogou com sua camisa 4 e a faixa de capitão.

MESSI X FERNANDINHO
O início do jogo levou o público numa máquina do tempo a 2014, quando Fernandinho teve atuação trágica. É que, em cinco minutos, ele levou um chapéu de Messi, fez duas faltas no atacante e levou um cartão amarelo. Só que o camisa 10 da Argentina voltou demais para buscar o jogo, e Tite deixou que seus meias Paulinho e Renato Augusto o acompanhassem mais para livrar Fernandinho do perigo da expulsão.

FINALMENTE!
Neymar e Messi se enfrentaram pela quinta vez, e foi o primeiro gol do brasileiro contra o amigo argentino, que já fez seis no duelo particular. Antes do jogo, eles trocaram um caloroso abraço, carinhos e palavras ao pé do ouvido.

Fonte: SportSinop/Valcir Pereira e Globoesporte.com

Fotos: Redação/SportSinop



Tecnologia do Blogger.