Clubes de Mato Grosso e mais de 130 do Brasil se unem com pedido de aporte financeiro à CBF

Foto Arquivo - Ademir Jr. - Sinop Futebol Clube

Araguaia, Dom Bosco, Mixto, Nova Mutum, Operário-VG, Poconé, Sinop e União apoiam carta que solicita R$ 75 mil mensais para cada time, pelo período de no mínimo três meses, por conta da paralisação das atividades diante da pandemia do Covid-19.


Diante da crise sanitária pela qual passa o Brasil em motivação da pandemia do Coronavírus, mais de 140 clubes do país que disputam as primeiras divisões dos estaduais se uniram em um pedido de aporte financeiro para os próximos 90 dias, junto à Confederação Brasileira de Futebol – CBF. O site Olhar Esportivo teve acesso à carta na manhã desta quinta-feira (02).
Em Mato Grosso, oito clubes que estavam na disputa do Estadual 2020 confirmaram apoio à esta iniciativa, que solicita R$ 75 mil mensais para cada time, pelo período de no mínimo três meses, para atender a situação de emergência por conta da paralisação das atividades diante da pandemia do Covid-19.

Foto Arquivo - Olharesportivo - Jogo Nova Mutum e Sinop F.C.

Além disso, foi proposto no documento que deve ser entregue até essa sexta-feira (03), que seja concebido para este período de dificuldades do ano atípico, isenção de taxas cobradas por Federações e CBF na inscrição de atletas, rescisões de contratos, taxa anual de clubes, entre outras taxas.

“Entendemos que essa é uma iniciativa de salvação dos clubes, grande parte dos clubes mato-grossenses têm uma receita da iniciativa privada, e neste momento, a iniciativa privada acaba sentindo muito a parte econômica. 

O corte de patrocínios, de publicidade, acaba sendo a primeira ferramenta usada por eles para controlar a parte financeira. Nós vivemos deste aporte financeiro, mas fica até ruim pressionar os parceiros para estar recebendo nessa situação. Essa iniciativa se dá porque a entidade do futebol é a CBF, que tem recursos, a ideia é essa, buscar diante da responsável pelo futebol, algum apoio para a gente sobreviver esse momento e continuar, conseguir fazer o futebol, fazer os campeonatos de uma forma razoável, pelo menos. Está ruim para todo mundo, para todos os meios. É um momento único e difícil”, disse o presidente do União, Edicarlos Olegini.

Foto Arquivo - Olharesportivo - Jogo Nova Mutum e Sinop F.C.

A carta foi assinada por seis presidentes de clubes de Mato Grosso até o momento, Celson Souza, do Araguaia, Valter Hudson, do Mixto, Éder Taques, do CEOV, Orivaldo Rondon, do Poconé, Agnaldo Turra, do Sinop e Edicarlos Olegini, do União.

“A cada momento entra um clube participante, temos uma pessoa para atualizar, essa carta a gente espera entregar até amanhã. O princípio é em conjunto praticamente de todos da mesma classe, de uma mesma posição que ocupam hoje, ou seja, de times que não estão na Série A ou Série B, por exemplo, a Série D não tem apoio nenhum. Temos alguns advogados trabalhando em cima disso para ver o quanto antes”, afirmou o presidente do Sinop, Agnaldo Turra.

Porém, em conversa da reportagem do Olhar Esportivo com o presidente do Nova Mutum, Anir Siqueira, e o vice-presidente do Dom Bosco, Paulo Emílio, ambos disseram que estão juntos nessa causa.

“O Dom Bosco ainda não assinou por questões burocráticas, o presidente está em viagem, mas apoiamos sim, todos precisam de ajuda neste momento”, explicou o vice-presidente do Azulão, Paulo Emílio.

O site tentou contato com a presidência e diretoria Luverdense, mas até o momento não obteve retorno.

CARTA DOS CLUBES DA 1º DIVISÃO DOS ESTADUAIS DO BRASIL
Ao presidente da CBF - Confederação Brasileira de Futebol Senhor – Rogério Caboclo.
Em conferência virtual realizada nos dias, 29, 30 e 31 de março de 2020, nós presidentes dos clubes abaixo relacionados pactuamos: é público e notório, senhor presidente, que a crise sanitária pela qual passa o Brasil em face da pandemia do Coronavírus é gravíssima, com agudas consequências para todos os segmentos da sociedade, entre estes o futebol profissional;
Considerando que os clubes brasileiros têm, antes mesmo das medidas governamentais, sendo parceiros na prevenção e combate ao coronavírus, e consequentemente na preservação da vida e assim permanecerão, adotando medidas baseadas na ciência e seguindo orientação de profissionais de saúde, autoridades governamentais, sanitárias e das entidades de administração do desporto;
Considerando que os clubes signatários desta carta, que disputam os campeonatos estaduais, todos com atividades paralisadas, são responsáveis por mais de 17,5 mil (dezessete mil e quinhentos) postos de trabalho diretos no país; e Considerando, por fim, que em razão da paralisação, todos os signatários deixaram de perceber a maior parte de suas receitas decorrentes de rendas de bilheterias e até de patrocinadores, inviabilizando a atividade dos clubes;
Por estas razões, viemos através desta, requerer o vosso apoio junto a Confederação Brasileira de Futebol (CBF) conforme reivindicações abaixo:
1 Que seja concedido um aporte financeiro pela Confederação Brasileira de Futebol (CBF) no valor de R$ 75 mil (setenta e cinco mil reais) mensais, pelo período de no mínimo três meses, para atender a situação de emergência alimentar pela qual passam nossos atletas, CTs, funcionários, comissão técnica e seus familiares, como também fazer face às despesas atinentes aos contratos em vigência, evitando que não venhamos declarar falência e encerrar as atividades em consequência de causas trabalhistas, já que atualmente resta inviabilizado o pagamento dos ATLETAS E FUNCIONÁRIOS.
2 Que seja concedida, excepcionalmente, para este período de dificuldades/para este ano atípico, isenção de taxas cobradas por Federações e CBF na inscrição de atletas, rescisões de contratos, taxa anual de clubes e outras taxas.
3 Que se estabeleça um canal formal de informações com os clubes em relação aos campeonatos estaduais que estão momentaneamente paralisados, haja vista que são interessados diretos e os que mais dependem dos estaduais para subsistência.
Este documento foi redigido com o consenso e apoio dos clubes abaixo relacionados, bem como também assinado pela comissão que ora representa os mesmos. Certo de um retorno positivo, agradecemos antecipadamente.
Brasil, 31 de março de 2020.

Por: PEDRO LIMA / DE CASA Olharesportivo e Valcir Pereira/SportSinop








Tecnologia do Blogger.